Como Adaptar um Gato Recém Adotado ao Novo Lar - Passo a Passo



Parabéns! Você adotou um gatinho que vai tornar a sua casa um lar cheio de amor.


E agora?


Você já deve saber que gatos são particularmente sensíveis a novos ambientes. Você certamente não quer que ele se esconda embaixo da cama ou no armário por dias ou até semanas.


O mais importante é que você entenda que os gatos são animais metódicos e muito sensíveis a mudanças de rotinas podendo até ficar doentes com o estresse causado por mudanças. Por isso, é imprescindível que você tenha todo o cuidado com seu gato quando qualquer mudança na rotina da casa estiver para acontecer.


Mas como posso ajudar meu gato a se adaptar melhor?



Cada gato é diferente. Cada um tem sua personalidade própria, bem como os humanos. Alguns precisam de tempo para adaptar-se ao novo lar, outros se sentem confortáveis imediatamente.


Existem várias estratégias relacionadas à rotina que podem ajudar na adaptação do seu gatinho, fazer ele ficar confortável e consequentemente confiar em você mais rapidamente.


Mas uma coisa é certa. Você vai precisar de muita paciência! Porém, em troca você ganha um novo melhor amigo. Sua paciência e compreensão durante o período de adaptação inicial são essenciais e vão ajudar seu novo gato a se sentir em casa.


Para uma ambientação mais rápida, é extremamente importante se preparar com antecedência, evitando assim, problemas com seu novo bichinho e ajudando-o com a adaptação. Para isso, seguir as sugestões deste artigo pode ajudar.


Vamos lá!


Passo # 1: Preparação antes de levar seu novo gatinho para casa


Uma coisa imprescindível a se fazer para receber o gato na casa nova é preparar o ambiente para recebê-lo. Isso mesmo, adaptações na casa são necessárias para receber o novo morador, tais como:


Instale medidas de segurança. É essencial mandar instalar redes de proteção em todas as janelas e basculantes para evitar qualquer tipo de acidente. Busque em sua cidade uma empresa especializada no assunto e peça uma rede específica para animais de estimação.



Esse cuidado é essencial para a segurança do seu gatinho seja você morador de casa ou apartamento. No caso de apartamento muitas pessoas acreditam erroneamente que os gatos são super espertos e nunca vão cair. As pessoas estão certas em parte os gatinhos são espertos sim mas nesse aspecto todo cuidado é pouco.


Você deixaria seu filho pequeno olhando por uma janela sem tela?


Com certeza não!


O risco de acidente é imenso sendo assim tenha o mesmo cuidado com o seu gatinho. Além disso os gatinhos possuem um impulso grande dentro deles de pular de alturas, eles não tem noção de que podem se machucar. Esse impulso na verdade é uma síndrome que é conhecida como síndrome do gato paraquedista aqui no Brasil mais conhecida como síndrome da queda de grande altura. Dito isso fica claro a importância da instalação da rede de proteção em apartamentos.


Para pessoas que residem em casas o risco de queda não existe realmente mas ainda sim é importante a instalação de rede de proteção, travas nas basculantes e adaptar o portão da casa para que eles não fujam na hora que você for entrar ou sair de casa.



Existe uma cultura muito grande aqui no Brasil a cultura da “voltinha” que diz que os gatos podem sair sozinho para passear e que eles sempre voltam. Viemos com a missão nesse artigo de dizer NÃO a cultura da “voltinha”, pois a rua é um lugar muito perigoso para o seu gato, ele pode ser atropelado, pode contrair diversas doenças, pode ser atacado por um cão, pode brigar com um outro gato, pode sofrer maus-tratos infelizmente as pessoas são muito cruéis, seu gato pode ser envenenado e não chegar a tempo em casa para ser socorrido.


Conclusão o seu gato não se vira sozinho nas ruas como a cultura da “voltinha” diz ele é um animal indefeso e sempre ficará exposto a todos esses riscos. Sendo assim seja um tutor responsável e mantenha o seu gato seguro dentro de casa.


Manter seu gato dentro de casa é tão eficiente para a sua segurança que pesquisas mostram que gatos que vivem sem as “voltinhas” vivem cerca de 15 anos já os gatos que têm acesso a rua vivem cerca de apenas 3 anos e o pior é que eles geralmente morrem de maneiras terríveis, sendo a assim vamos reforçar, mantenha o seu querido gatinho seguro dentro de casa.


Faça todas as comprar essenciais antes da chegada do novo gatinho. Você deve comprar as coisas do seu gato antes da chegada em sua casa, para evitar confusão e estresse desnecessário.



Entre os itens que seu gato precisa, estão a caixa de areia, potes de comida e água, alimentação de boa qualidade, caminha, brinquedos e arranjadores. Assim você deixará a sua casa preparada para receber o seu gato.


Dica: É importante ter no mínimo uma caixa de areia por gato. Se o espaço permitir, ofereça mais de uma caixa de areia para cada animal, e em locais diferentes, pois alguns gatos que preferem urinar em uma caixa e defecar em outra.


Passo # 2: O primeiro exame veterinário


Antes mesmo de levar seu gato para casa ou adotar seu gatinho faça uma pesquisa buscando por um veterinário.


É importante que você busque conhecer o veterinário antes mesmo de levar o seu gatinho para consultar. Veja se ele possui familiaridade com os felinos e converse com pessoas que já levaram o gato para consultar anteriormente com esse profissional.


Encontrando um profissional preparado já deixe marcado a consulta do seu gatinho.


Para evitar estresse, principalmente nos primeiro dias na casa nova, pergunte se o veterinário realiza consultas domiciliares e se pode fazer uma visita em casa para conhecer o animal.


Nessa primeira consulta aproveite para pedir orientações de cuidados para o seu gatinho e também sobre a sua saúde.

Não esqueça de pegar a carteirinha de vacinação no abrigo e conversar sobre o histórico médico que seu gato teve no tempo que viveu por lá, essas informações são importantes que você passe para o veterinário.


Caso o seu gatinho ainda não tenha sido castrado é imprescindível que você relate isso ao veterinário, para que o mesmo tome providência a respeito. A castração é muito importante para a saúde do seu gato, evita crias indesejadas ajudando a controlar a população de gatos mas é indicado que você faça a castração apenas quando a adaptação do seu gatinho esteja completa ok.


É importante destacar que o seu gato vai precisar de ter uma rotina de saúde, ou seja ele deverá fazer visitas regulares ao veterinário, por tanto converse com o médico veterinário e combine certinho como funcionará as consultas.


Esse cuidado é essencial para manter o seu gato saudável e feliz.


Passo # 3: Prepare um lugar (quarto) seguro


Você não deve deixar um gato solto na nova casa logo de início. O gato ficará sobrecarregado com o ambiente, cheio de cheiros e sons desconhecidos de sua nova casa.



Crie um cômodo seguro onde o gato possa permanecer até ele estar confiante para começar a explorar sua nova casa. Lembrando de manter a alimentação, água, caixinha de areia e brinquedos lá dentro.


Mantenha a porta fechada por alguns dias. O tempo vai depender de cada bichinho e de quanto ele parecer estar a vontade com o novo ambiente (em minha experiência pessoal, 1 semana sempre foi o suficiente).


Isso fará com que o bichano sinta-se à vontade com um cômodo que é apenas dele, como um tipo de “porto seguro”. Dessa forma, ele pode se sentir seguro e levar o tempo necessário para se adaptar ao novo ambiente.



O lugar seguro precisa de vários itens. Seguem as dicas para preparar um quarto seguro, calmo e acolhedor:


  • Alimentação: Prepare uma estação de alimentação com potes de comida e água. Um gato recém-adotado pode não comer muito ou nada no começo. Uma dica é dar ao seu gato a mesma comida que ele tinha no abrigo, pelo menos no início, e adicionar a outra comida aos poucos durante os próximos dias. Troque a água com frequência. É importante localizar os potes afastados da caixa de areia.

  • Caixa de areia: Coloque a caixa de areia num lugar de fácil acesso (porém longe da comida e água). Gatos têm a tendência de preferir areia fina. Além disso, você deve evitar areia perfumada. É importante limpar a caixa de areia todos os dias para evitar mau cheiro e incentivar o seu gato a sempre utilizar a caixinha.

  • Esconderijos: Gatos adoram fugir e esconderem-se em lugares apertados, e você pode fornecer seu próprio pequeno refúgio. Se o gato chegou em sua casa em uma caixa de transporte seria uma boa ideia deixar essa caixa no quarto, para que ele possa esconder-se rapidamente de qualquer coisa que assustá-lo. Outra opção fácil de conseguir é uma caixa de papelão. Coloque a caixa no chão para que ela sirva de esconderijo. Com o tempo (e se houver condição), petshops têm variadas opções bem interessantes.

  • Brinquedos: Brinquedos são ótimos para diminuir o estresse do gato e para que ele possa associar a casa nova com estímulos positivos. Brinquedos soltos, que o gato consiga utilizar sozinho, são ideais, como por exemplo bolinhas ou pequenas pelúcias com erva de gato.

  • Arranhador: Os gatos precisam afiar as unhas com frequência. E eles fazem isso arranhando as coisas. Se você preferir que não seja seu sofá, forneça ao seu gato um arranhador. É importante que o arranhador seja novo e não tenha sido utilizado por outros gatos anteriormente, para que o seu gato novo não se estressar com o cheiro de outros animais enquanto ele está se adaptando ao seu novo ambiente.

  • Amor: Passe tempo com seu gato. Faça visitas regulares para que ele acostumar-se com você.Tente de forma tranquila, conversar, tocar e brincar, respeitando os limites de cada indivíduo. Conheçam um ao outro. Alguns gatos são mais sociáveis, outros mais fechados, cada um com sua personalidade única. Eu particularmente leria um livro em silêncio, apenas fazendo companhia.



Dica: Evite usar salas onde os gatos possam ficar embaixo de móveis grandes, como camas, onde você não pode acessá-los, brincar com eles ou oferecer incentivos. Isto é especialmente importante se o gato for tímido. Se não estiver escolha, certifique-se de que o gato não possa acessar espaços confinados como, por exemplo, atrás de guarda-roupas ou dentro de gavetas.


Passo # 4: Apresentando a família ao novo gato


É claro que a sua família quer conhecer o novo companheiro. Para evitar estresse desnecessário você pode seguir algumas dicas ao apresentar os outros habitantes (humanos) da casa ao novo animal de estimação. Isso tornará a experiência agradável tanto para seu gato quanto a sua família.


Evite apresentar o gato durante períodos estressantes. Se você apresentar seu novo gato à família no meio de um período agitado, como a temporada de natal, no qual o fluxo de pessoas e o barulho são grandes, ele ficará sobrecarregado com os sons e cheiros.


Também evite levar seu gato novo para casa quando você mesmo estiver estressado ou ocupado demais, pois você precisa passar um tempo com ele para que ele se acostume com sua presença e também não se sentirá muito sozinho.



Tenha bastante paciência. Outra dica muito importante é não forçar uma aproximação, ou seja, deixe que o gatinho venha até você. Sente-se no chão e deixe-o vir até você. Não o force. Apenas deixe que ele se familiarize no seu próprio tempo.


Se ele não se aproximar, deixe-o em paz e tente novamente mais tarde. Alguns gatos são particularmente mais assustados que outros, e ele pode recuar para o seu esconderijo e não sair mais enquanto você estiver por perto. As vezes ele só sai à noite quando a casa está quieta. Dê tempo a ele, sua vida acabou de mudar muito drasticamente (mal sabe ele que para muito melhor).


Espere seu gato se ambientar à nova casa, ficando mais calmo, para aí sim, com mais sucesso, dar um petisco diferente, oferecer um brinquedo e tentar com muita calma, fazer um carinho nele. Assim, com muito amor, você conquistará a amizade do seu gatinho.



Ajude as crianças a entenderem o novo gato. Explique aos seus filhos que o gato precisa de tempo e espaço para se acostumar. Apenas deixe as crianças (principalmente as mais novas) visitarem o gatinho sob supervisão e por curtos períodos de tempo.


Oriente as crianças a oferecerem petiscos ao gato (inicialmente para colocarem no chão), ou então deixe-as levar os potes de comida cheios para o local. Isso ajudará as crianças a se sentirem parte da nova situação.



Incentive seus filhos a ficarem quietos no quarto do gato, e deixá-los sentar no chão para verificar se o gato vai até eles.


Jamais permita que as crianças puxem o rabo, orelhas, pernas ou bigodes do gato!


Não permita que as crianças perturbam o gato em seu esconderijo, porque ele se sentirá ameaçado. Além disso, ensine as crianças a respeitar a linguagem corporal do gato.


Se o gato assobia, se encolhe ou seus olhos ficam grandes e pretos, ele tem medo. Se a criança vê-lo fazer isso, ela deve recuar e garantir que o gato fique mais calmo.


Passo # 5: Introduzir o gato ao resto da casa


O momento certo de introduzir o gato ao resto da casa depende da confiança e do temperamento do mesmo. Esse período pode variar. Seu gato vai mostrar sinais de que deseja explorar fora de seu lugar seguro.


Se o gato parece inquieto e arranha a porta depois de alguns dias, você não deve fazê-lo se sentir preso no quarto. Neste caso, deixe-o explorar.


Por outro lado, se ele parecer assustado com o novo ambiente e não quiser sair do quarto depois de uma semana, dê mais tempo para ele se adaptar. Novamente, a SUA paciência é essencial.


Primeiro, traga coisas do resto da casa para que ele possa se acostumar com diferentes cheiros. Principalmente com o cheiro do dono. Deixe-o cheirar um travesseiro do sofá ou um cobertor da sua cama.


Em seguida, abra a porta e espere o gato se aventurar por conta própria enquanto explora os lugares e os cheiros da casa. Você deveria estar por perto, mas sem distraí-lo.


É muito importante deixar o gato conhecer a nova moradia com calma, deixe-o explorar a casa no tempo dele. Não é hora de ficar pegando o gato no colo e forçando uma aproximação. Deixe ele conhecer a casa e apenas fique monitorando.


Nos primeiros dias, quando você não estiver em casa, coloque o gato de volta no quarto seguro e feche a porta. Espere até que ele se sinta completamente à vontade com o resto da casa antes de deixá-lo solto quando você não estiver por perto.



Uma ótima dica é criar esconderijos na casa nova para seu gato, como por exemplo, uma coisa que gatos adoram e é muito fácil de conseguir, são caixas de papelão. Espalhe algumas das caixas pela casa. Elas vão servir de esconderijos e posteriormente de brinquedos.


Muitas vezes, o quarto seguro não será o lugar permanente para a comida e a caixa de areia do seu gato.


Mas como eu mudo a caixa e a comida para o seu lugar permanente?


Gatos são criaturas de hábito e não gostam de mudanças bruscas. Mover tudo de vez pode ser muito estressante e resultar em comportamentos indesejados, como deixar de comer ou fazer xixi onde costumava ficar a caixa de areia.


Depois que o gato acostumar-se com o resto da casa, mova lentamente a comida e a caixa de areia para o local em que deseja mantê-las permanentemente. Não mova tudo de vez, mas sempre um pouco a cada dia.


Verifique se o gato sabe onde você os moveu, ou se ele ficará muito frustrado com a mudança. Neste ponto você já conhecerá um pouco mais sobre a personalidade de seu bichano para avaliar essa questão.


Resumo


Ufa…. foi muita informação.


Você não precisa seguir todos os passos deste artigo, pois alguns nem sempre são necessários. Isso vai depender da personalidade do gatinho, porém seja paciente!

Vamos resumir:


  • Prepare a sua casa. Instale tela de proteção em todas as janelas e compre os itens necessários do seu gato antes de levá-lo para casa.

  • Separe o gato do resto da casa (animais e humanos), mantenha-o num cômodo seguro e deixe-o acostumar-se no seu próprio tempo.

  • Tenha paciência ao introduzir o gato aos outros membros (humanos) da família, principalmente crianças que precisam de acompanhamento e orientações dos adultos.

  • Deixe o gato conhecer a casa inteira com calma, para ele se acostumar com os cheiros e o espaço. Ao deixar o gato sair do quarto, fique por perto monitorando até ele se sentir seguro.


Esperamos ter conseguido tirar suas dúvidas sobre como proceder em relação à chegada de seu gatinho recém adotado, para que ela seja uma experiência agradável para todos.



Qualquer dúvida, por favor consulte um veterinário porque mesmo com esse passo a passo a orientação de um veterinário não se torna dispensável. O seu gatinho novo vai precisar de muita atenção e acompanhamento veterinário ao longo da sua vida cheio de amor.


Mas uma vez, parabéns por seu novo amigo. Temos certeza que ele vai fazer da sua casa um lar muito feliz!


Você adotou um gatinho e também tem algumas dicas? Compartilhe as suas experiências nos comentários!

419 visualizações
PatinhasCarentes_logo.png

Buscamos fazer do abrigo um recomeço para animais resgatados!

© 2020 by Patinhas Carentes (Vitória- ES)  |  Termo de Adoção

Concept and Webdesign - Instituto Últimos Refúgios

PatinhasCarentes_Favicon.gif